Escola e comunidade participam de ação contra a dengue

Com o tema “Combater a dengue é um dever meu, seu e de todos”, o Programa Escola da Família do CEIEF Governador Mario Covas realizou no último sábado, dia 22 de março, ação de combate aos criadouros do mosquito da dengue.

De acordo com a gestora do programa, Lilia Reche, a dengue é uma doença grave, sendo fundamental conscientizar as pessoas de que combater o mosquito transmissor é dever de toda a sociedade. “Tomar medidas elementares podem auxiliar na erradicação do Aedes aegypti”, frisou.

A mobilização contou com bolsistas do programa e com a comunidade. Entre as ações, os participantes tiveram uma palestra, em que foram abordados os temas: prevenção e controle da dengue; curiosidades sobre o mosquito; sintomas da dengue; o que fazer em caso de suspeita; ações para evitar a dengue; e elaboração e distribuição de panfletos educativos para a comunidade.

Para intensificar o combate aos focos de proliferação do mosquito, as crianças e adolescentes realizaram um mutirão de limpeza na unidade escolar. O aluno Giovane Ferreira Felipe falou da importância em combater o mosquito. “O combate à dengue precisa ser feito porque essa doença pode matar.”

Jornalista: Vanessa Ferreira

Créditos: Divulgação

DSC08138 DSC08157 DSC08165

Agricultura Familiar passará a fornecer suco às escolas

A Associação Viva Pires, formada por famílias de agricultores da região do bairro dos Pires, irá fornecer do suco de laranja integral pasteurizado para as escolas da rede municipal. O contrato foi assinado no dia 19 de março e publicado ontem, dia 25, no Jornal Oficial do Município.

De acordo com a legislação, quando existir uma associação local, será ela que deverá fornecer os produtos para o município, ou seja, a prioridade é do fornecedor da cidade.

Segundo o presidente da associação Viva Pires, Marcel Menconi, a associação existe desde 2007. Para ele, essa conquista irá incentivar o produtor rural e fomentar ainda mais as boas práticas que envolvem o ruralismo.

“A política pública para produtores familiar garante a renda mínima de muitas famílias”, diz.

Para a diretora do Departamento de Alimentação e Nutrição da Secretaria da Educação, Marli Terezinha Zucculo, o objetivo é que se mantenha a qualidade do produto e a garantia da entrega, mas é importante salientar que haverá uma valorização aos produtores rurais e, mais ainda, para a Associação Viva Pires, que agora irá fornecer o suco de laranja produzido por eles.

“Antes, esses produtores forneciam a laranja para as cooperativas e hoje são eles próprios que irão fabricar e fornecer o suco”, enfatiza.

É a primeira vez que acontece esse tipo de parceria no município, uma vez que não havia na cidade uma associação que atendesse a todos os critérios para vencer uma licitação.

O contrato, válido por 12 meses, integra o Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE. O valor é de R$ 678,65 mil.

Jornalista: Vanessa Ferreira

Alunos da rede municipal participam da Olímpiada da Língua Portuguesa

Alunos da rede municipal de ensino participarão da 4ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa - Escrevendo o Futuro, que tem como tema “O Lugar Onde Vivo”. O objetivo da Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria da Educação, é contribuir para a melhoria de ensino da leitura e escrita nas escolas públicas municipais, além de valorizar a interação das crianças e jovens em seu convívio.

Da rede municipal, participam da iniciativa alunos do 5º ano do ensino fundamental, que trabalharão o gênero literário poema. As escolas devem enviar os textos até 15 de agosto. De acordo com coordenador de área de Língua Portuguesa da Secretaria da Educação, Adriano de Oliveira Paiva, a proposta da olimpíada de trabalhar os gêneros literários está entrelaçada com o currículo da rede municipal.

Ainda de acordo com o coordenador, esse projeto proporciona ao aluno uma oportunidade de situação real de leitura, pesquisa e escrita autônoma, motivada pela possibilidade do texto obter visibilidade em âmbito nacional. “A escrita faz parte da comunicação e tem uma função social, não ficando limitada às práticas escolares”, explica. O projeto também tem a finalidade de contribuir para a formação do professor.

Olimpíada

A Olimpíada de Língua Portuguesa tem caráter bienal e, em anos pares, realiza um concurso de produção de textos que premia as melhores produções de alunos de escolas públicas de todo o país. Na 3ª edição, participam professores e alunos do 5º ano do Ensino Fundamental (EF) ao 3º ano do Ensino Médio (EM). Nos anos ímpares, desenvolvem-se ações de formação presencial e a distância, além da realização de estudos e pesquisas, elaboração e produção de recursos e materiais educativos.

A iniciativa é do Ministério da Educação (MEC) e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Cenpec — Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária. A ação ainda conta com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Canal Futura como parceiros.

Jornalista: Vanessa Ferreira

Professores participam de encontro com Apae de São Paulo

Os professores e coordenadores que fazem parte da Educação Especial da rede municipal participaram, no dia 21 de março, no Teatro Nair Bello, de um encontro promovido pela Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de São Paulo. O objetivo foi promover o projeto “Todos pelos Direitos”, desenvolvido pela Apae, e também entender como funcionam as ações de inclusão proporcionadas pela Secretaria da Educação e pelo município para as pessoas e alunos da rede com deficiência.

Para a coordenadora de Educação Especial da secretaria, Mariluz Altino Barreto, essa parceria é positiva no sentido de despertar a importância de se fazer mais ações de inclusão para todos aqueles que tenham algum tipo de deficiência.

“O movimento de inclusão deve estar instituído na cidade. É preciso mais união e luta pela causa das crianças e pessoas com deficiência”, frisa.

Ainda de acordo com Mariluz, compete à Secretaria da Educação proporcionar a essas crianças o direito de estar na escola, o que já está sendo garantido. Entretanto, há uma necessidade de tornar a inclusão uma oportunidade de desenvolvimento para a pessoa com deficiência, com acesso, adaptações e recursos necessários.

“A inclusão aqui em Limeira já começou. Hoje, a criança com deficiência pode sair de sua casa para estudar. Esse direito está garantido a ela”, explica.

O trabalho de apoio desenvolvido pela Secretaria da Educação contempla crianças com qualquer tipo de deficiência. São disponibilizadas 53 salas de recurso chamadas de AEE (Atendimento Educacional Especializado), além do atendimento domiciliar para as crianças impossibilitadas de frequentar a sala de aula por deficiência grave. O trabalho é desenvolvido com crianças do ensino infantil e fundamental. Na rede municipal de ensino, cerca de 300 crianças apresentam algum tipo de deficiência.

O atendimento educacional especializado realizado por professores formados em educação especial complementa o currículo comum e está de acordo com a legislação.

O projeto também está sendo realizado com o Serviço Social, a Secretaria da Saúde e o Judiciário.

O PROJETO

O projeto acontece em 43 municípios do Estado de São Paulo, sendo que Limeira está inserida por contemplar um polo da Apae. O principal objetivo é propor políticas públicas para pessoas com deficiência e identificar o contexto de práticas violentas e violações de direitos contra crianças e adolescentes com deficiência intelectual no Estado de São Paulo.

De acordo com o censo do IBGE de 2010, as pessoas com alguma deficiência representam 24% da população brasileira e 22,16% dos limeirenses.

Nos próximos meses, outros encontros irão ocorrer para tratar do assunto e fazer novos encaminhamentos.

Jornalista: Vanessa Ferreira

Créditos: Divulgação

604063_692738754101240_808953860_n 1920267_692738607434588_704024758_n 1925351_692738680767914_247759035_n 10004002_692738650767917_272982806_n 10004033_692738544101261_214141649_n 10150554_692738720767910_1241811081_n

 

Contadoras de histórias participam de encontro regional

Representantes da Secretaria da Educação de Limeira participaram, entre os dias 10 e 16 de março, do 9º Encontra Canto – Encontro Regional de Contadores de Histórias. Estiveram presentes as coordenadoras de área e contadoras de histórias Helcimara Gonçalves Belo Sabino e Amanda Janaina Hergert Straliotto, e a coordenadora de Artes, Tânia Lima Theodoro, todas da secretaria.

O evento foi organizado pela Secretaria de Cultura de Santa Bárbara d’Oeste, Cia Xekmat e Confraria do Conto.

De acordo com as participantes, durante a semana, os contadores participaram de diversas atividades, como apresentações teatrais, comboio de histórias e oficinas com técnicas de contação.

O evento atingiu, durante a semana, um público de aproximadamente 10 mil pessoas, entre crianças, jovens e adultos. Segundo as contadoras Mara e Amanda, foi possível fazer várias apresentações, contando e interpretando histórias no “comboio de histórias”.

Ainda de acordo com as contadoras, para o próximo ano, o objetivo é que Limeira também faça parte deste circuito de apresentações.

“Está previsto para abril a inauguração da sala, na Secretaria da Educação, do Recanto das Histórias, que irá atender especialmente aos alunos da rede municipal de Limeira”, informam as participantes.

Jornalista: Vanessa Ferreira

Créditos: Divulgação

Contadoras de história

Educação receberá Polo da Universidade Aberta do Brasil

A lei nº 5.280, publicada na edição de sábado, 14 de março, no Jornal Oficial do Munícipio, regulamenta a criação e sustentabilidade financeira do Polo UAB (Universidade Aberta do Brasil) em Limeira.

 

O Polo, que estará vinculado à Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria da Educação, tem a finalidade, por meio das parcerias com as universidades públicas, de ofertar aos profissionais da educação cursos de licenciatura e de formação inicial e continuada para os professores da educação básica; cursos superiores para capacitação de dirigentes, gestores e trabalhadores em educação básica; cursos superiores nas diferentes áreas do conhecimento, além de ampliar o acesso à educação superior pública e de forma gratuita. A metodologia aplicada é o ensino à distância.

 

De acordo com a diretora pedagógica da Secretaria da Educação, Luciana Coutinho, o objetivo principal da secretaria, quando estabeleceu esse projeto, foi o de melhorar a qualidade da educação.

 

“Esse projeto faz parte de um conjunto de ações que busca a melhoria da qualidade da educação. Hoje, nosso problema no ensino fundamental não é mais o acesso, e sim a qualidade do ensino”, afirma.

Toda a estrutura física e financeira necessária para o funcionamento do Polo UAB ficará atrelada à secretaria. A coordenadora explica ainda que para a concretização desse projeto foi necessário cumprir todas as exigências estabelecidas pelo CAPS (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), todas articuladas com a política nacional da Educação.

 

“A responsabilidade da Administração Pública, por meio da secretaria, é manter a estrutura administrativa do Polo, para que as universidades possam manter os cursos oferecidos”, reitera.

 

Luciana também informa que apenas as universidades públicas participam da UAB e cabe a essas universidades a responsabilidade de administrar tudo o que envolve as ações pedagógicas.

 

“São as universidades que oferecem os cursos. Compete à secretaria identificar os cursos mais apropriados e fazer a articulação com as universidades para trazê-los”, diz.

 

INÍCIO

Segundo a coordenadora, a previsão é que o Polo se inicie no primeiro semestre de 2015. “É importante ressaltar que foi necessário estabelecer parcerias para trazer esse projeto. A universidade parceira é a UFSCAR, além de ter havido referendo do Fórum Estadual. Se todas as exigências forem cumpridas pela secretaria e parcerias, poderemos dar início no começo do ano que vem”, declara.

 

Jornalista: Vanessa Ferreira

Educação faz homenagem ao Dia do Contador de História

Para marcar o dia e homenagear o contador de história, a Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria da Educação, irá proporcionar aos alunos um dia de contação de histórias. O evento será realizado amanhã, dia 20 de março, no Teatro Nair Bello, em dois horários, das 10h às 11h30 e das 13 às 14h30.

O evento receberá crianças das escolas da rede municipal de ensino de Limeira. Haverá também uma apresentação de dança que será representada pelos alunos da EMEIEF Luca Moore, do Jardim Aeroporto.

A contação ficará por conta das representantes da Secretaria da Educação, Mara Belo e Amanda Straliotto, além do grupo Confraria do Conto, de Santa Bárbara d’Oeste.

 

INAUGURAÇÃO

No dia 22 de abril, às 9h, ocorrerá a inauguração de uma sala, na Secretaria da Educação, que será usada para as oficinas de contação de histórias. A inauguração será na semana em homenagem ao escritor Monteiro Lobato, autor de obras de literatura infantil.

 

Jornalista: Vanessa Ferreira

Educação inicia encontros de formação para professores da rede municipal

Na última terça-feira, dia 11 de março, a Prefeitura de Limeira, por meio da Secretaria da Educação, iniciou os encontros de formação que contemplam os 1300 professores da rede municipal de ensino, ministrados pela equipe de formação da Secretaria da Educação. Ao longo do ano letivo, serão oito encontros realizados em horários de trabalho dos professores, os quais ocorrem na própria Secretaria da Educação. Participam da formação professores que fazem parte do ensino infantil e fundamental.

De acordo com o diretor de formação da Secretaria da Educação, Ricardo Pereira, o objetivo do trabalho é fazer os encaminhamentos metodológicos adequados e ampliar os conhecimentos, além da valorização da categoria.

“O estudo também faz parte do trabalho do professor e deve ser algo presente ao ser praticado em sala de aula”, explica.

Ainda de acordo com Pereira, este momento de estudo também deve ser considerado um espaço de troca de experiências entre os professores. O novo currículo da rede enfatiza o ensino sobre o cuidar e o brincar.

Para a coordenadora da equipe de formação, Adriana Dibbern Capicotto, a formação busca trabalhar a educação infantil com foco no ensino. “Os conteúdos só serão apropriados à medida que o professor trabalha com o aluno”, enfatiza.

A coordenadora explica que no ano passado, em 2013, os professores passaram por um processo de estudo e aprofundamento teórico que garante a apropriação das novas diretrizes pedagógicas pelo conjunto de profissionais da educação. A equipe é composta por 19 formadores. “Os professores da rede participam de encontros de estudos e reflexões sobre o fazer docente, elaborados pela equipe de formação da SME, que foram selecionados dentre os professores da rede municipal de Limeira”, diz.

Meta

O IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) aponta que muitas crianças chegam ao final dos ensinos infantil e fundamental, sem ter conseguido se apropriar de todo o conteúdo curricular.

Com a meta de mudar o índice do IDEB, a equipe de formação conta com a parceria das Unidades Escolares, para que todo o trabalho desenvolvido na formação tenha continuidade e sejam sempre ampliados nos espaços de estudos já existentes nas escolas, como nos HTPCs (Horário de Trabalho Pedagógico Coletivo). “Esperamos colher os frutos destas formações, com o aprendizado de todas as crianças. Este é o principal objetivo desta administração” frisa a equipe.

Também está prevista para começar em abril a formação que abrangerá os monitores que fazem parte dos Centros Infantis, EMEIS, CEEIEF e escolas conveniadas ao Bolsa Creche.

Jornalista: Vanessa Ferreira

Créditos: Divulgação

1891287_687658544609261_1127767268_n

 

Cursinho Colmeia inicia o ano letivo com aula inaugural

Os alunos do cursinho pré-vestibular Colmeia foram recebidos, ontem à noite, dia 10 de março, para a aula inaugural que serviu de apresentação do curso aos novos alunos. O Colmeia existe desde 2009, no ano passado foi firmada uma parceria entre a Prefeitura de Limeira com a Unicamp. O objetivo é proporcionar o acesso mais rápido e com qualidade aos jovens com menos possibilidade de cursar uma universidade pública.

A cerimônia de abertura aconteceu no Teatro Nair Bello e contou com a presença do vice-prefeito Antonio Carlos Lima; do secretário José Claudinei Lombardi; do pró-reitor da Unicamp, João Frederico da Costa Azevedo Meyer; da presidente do Centro de Promoção Social Municipal (Ceprosom), Ana Maria Sampaio, e da professora e coordenadora da Unicamp, Josely Rimoli.

De acordo com o vice-prefeito, a parceria com a Unicamp em promover cursinho para a cidade é um compromisso da administração pública. “É dever dos gestores públicos promover o acesso para todos”, salienta.

Lima disse ainda que os pais e alunos também devem cumprir a sua parte, de forma participativa e dedicação intensa aos estudos. Para isto, ele destaca a importância de melhorar o índice de desenvolvimento do ensino básico.

“Melhorar a qualidade de ensino de modo total. É importante olhar para todos os aspectos de formação e melhoria, trazendo mais cursos e oportunidades para o saber”, diz.

Para o secretário da Educação, José Claudinei Lombardi, é de responsabilidade do município oferecer educação pública, gratuita e de qualidade.

“É nosso dever garantir o acesso à universidade aos filhos da classe trabalhadora que foram excluídos deste direito,” frisou.

Lombardi reitera a importância de estabelecer convênios com instituições públicas e de excelência, como a Unicamp. O secretário garante a qualidade do cursinho e os gastos que foram reduzidos com essa parceria. “Trata-se de uma política de valorização dos jovens para o acesso à universidade, de preferência pública”, afirmou.

A presidente do Ceprosom, Ana Maria Sampaio, também fez questão de demonstrar em sua fala a satisfação em fazer parte desta parceria e do resultado positivo da aprovação nos vestibulares. “Só a educação quebra o círculo vicioso da pobreza. O resultado de 26 aprovados já valeu a pena”, declarou.

A cerimônia se encerrou com a apresentação da aula inaugural que foi ministrada pela professora Josely Rimoli, que fez questão de parabenizar a todos pelo sucesso do projeto. “Sempre lutaremos por uma sociedade justa e de inclusão”, enfatiza.

Cursinho

O cursinho disponibilizará aulas de segunda a sexta-feria, nos períodos da tarde e à noite. E, aos sábados, haverá plantão de dúvidas. As aulas são ministradas por monitores de ensino, supervisionados pelos professores doutores da Unicamp.

A professora Josely explica que a importância das parcerias com a Prefeitura e a responsabilidade de encaixar o cursinho dentro das normas de uma universidade. Segundo ela, o objetivo para este ano é melhorar a qualidade estrutural e didático pedagógica do Colmeia.

“Este ano, as aulas irão ser concentradas em um mesmo local e, para isto, o Centro Comunitário do jardim Morro Azul está sendo reformado para receber os alunos”, informou.

O Serviço Social Escolar da Secretaria da Educação informa que ainda há vagas para o período da tarde. Para outras informações, entrar em contato pelo telefone: 3404–1843.

Jornalista: Vanessa Ferreira

Crédito: Wagner Morente

DSC_4752a DSC_4813a DSC_4831a